7.º webinar da SPOT sobre a rigidez no cotovelo e ombro atrai mais de 100 participantes

7.º webinar da SPOT sobre a rigidez no cotovelo e ombro atrai mais de 100 participantes

O 7.º webinar da Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia (SPOT), organizado pela Sociedade Portuguesa do Ombro e Cotovelo (SPOC) e realizado a 27 de novembro, abordou de forma detalhada a rigidez no cotovelo e no ombro. Os moderadores Nuno Sevivas e Diogo Silva Gomes destacaram a excelência do evento, com uma adesão de mais de 100 participantes.

“Esta é uma iniciativa que, seguramente, tem pernas para continuar”, mencionou Diogo Silva Gomes.

Na primeira parte do webinar, focada no ombro, os palestrantes sublinharam a importância de realizar um exame físico minucioso para a distinção entre rigidez, dor e fraqueza muscular. Deste modo, salientou-se a necessidade de descartar condições que pudessem mascarar a rigidez, como problemas cervicais ou neoplasias. Houve, ainda, destaque para uma avaliação detalhada da postura, sinais visuais e exames táteis para obter diagnósticos precisos, assim como para possíveis gatilhos, evolução dos sintomas e uso de medicamentos associados, como diabetes e distúrbios da tiroide.

Os palestrantes detalharam as fases da capsulite adesiva e discutiram métodos diagnósticos, como radiografia, ecografia e ressonância magnética. Além dos anti-inflamatórios, foram apresentadas opções de mobilidade passiva e ativa, bem como intervenções mais invasivas. Detalhes sobre técnicas cirúrgicas, recuperação pós-operatória e estratégias de gestão da dor foram, também, abordados em profundidade, oferecendo uma visão completa dos aspetos clínicos e terapêuticos desta condição.

Na segunda parte dedicada ao cotovelo, foram discutidas a complexidade da definição da rigidez e suas origens, traumáticas e não traumáticas. Características, etiologia e fisiopatologia foram detalhadas, juntamente com técnicas de avaliação, testes objetivos, fatores contributivos e a incidência de rigidez antes e após cirurgia, especialmente em fraturas complexas. Os especialistas também mencionaram técnicas cirúrgicas e outras opções de tratamento, considerando fatores como gravidade da lesão, comorbidades e adesão do paciente.

O webinar contou com a participação dos palestrantes Catarina Quintas, Bernardo Nunes, Miguel Costa, José Pinto, Jorge Ramos, Diogo Lacerda, Bruno Mota, Vânia Cruz, Nuno Moura, Manuel Ribeiro da Silva e Rafael Dias. Os profissionais tiveram a oportunidade de se envolverem em discussões, onde partilharam opiniões e estratégias sobre tratamento conservador, medicação, diagnóstico e o momento ideal para a intervenção cirúrgica na rigidez do cotovelo e ombro. Houve, ainda, lugar para Bernardo Nunes, do Centro Hospitalar Universitário de S. João, Porto, convidar os participantes a comparecer no @Live Porto Shoulder Meeting 2024, programado para ocorrer a 26 e 27 de janeiro de 2024.