JOÃO MANUEL NOGUEIRA LOBO ALARCÃO E SILVA (1927 – 2024)

Filho do Dr. João Perestrelo de Alarcão e Silva, um dos pioneiros da Ortopedia Coimbrã, conviveu desde muito pequeno com a Ortopedia. Foi mesmo espetador privilegiado do ensino da Ortopedia em Coimbra, ministrado por cirurgiões de reconhecido mérito como o Prof. Bissaya Barreto e da prática ortopédica no Laboratório de Ortopedia dos Hospitais da Universidade de Coimbra, criado em 1935 e dirigido pelo seu ilustre progenitor.

Licenciou-se pela Faculdade de Medicina em Coimbra, em 1953, entrando nos. Hospitais da Universidade de Coimbra no ano imediato, de onde apenas saiu em 1997, por limite de idade, como Chefe de Serviço de Ortopedia.

A sua formação foi iniciada no Serviços de Cirurgia, com o Prof. Bissaya Barreto que tinha igualmente a direção do Laboratório de Ortopedia.

Este Serviço tinha como Assistentes o Dr. Ponty Oliva, um dos primeiros médicos especializados em Ortopedia em Coimbra e mais tarde o Dr. Pacheco Mendes especialista em ortopedia com formação nos Estados Unidos que viria a fundar e dirigir o Serviço de Ortopedia do Centro Hospitalar de Coimbra.

Nessa mesma altura exercia também como ortopedista o Dr. Fernando Ferreira Pimentel, licenciado em 1934. Embora não tenha sido sócio fundador, foi o primeiro sócio efetivo da SPOT, constando da primeira lista de sócios publicada em janeiro de 1953 na Ata Ortopédica-Traumatológica Ibérica. É também por essa altura que é apresentada e aprovada (25-5-1956) à Faculdade de Medicina a tese de doutoramento do Professor Fernando de Oliveira intitulada “Artroplastia acrílica da articulação coxo-femoral”, primeira tese de doutoramento em Ortopedia feita em Portugal.

Como a preparação de ortopedia em Portugal “era ainda incipiente”, estagiou entre 1957-58 no National Spine Injuries Center do Stok-Mandeville Hospital.

Realizou as provas de graduação em Ortopedia pela Ordem dos Médicos no ano de 1964, passando a Chefe de Serviço, 1978, mediante Concurso Público.

Nesse mesmo ano, 20 de junho de 1978, no Serviço de Ortopedia, na sequência do repto do Prof. Norberto Canha, foram criadas as “subespecialidades” ficando o Dr. Alarcão e Silva responsável pela patologia da coluna o que o leva a realizar novos estágios no Departamento de Ortopedia de Heidelberg – University Hospital – Escola Humboldt entre 1979 e 1981, no Scoliosis Center in Bdwildungen, em 1983.

Já no final da sua carreira assumiu, em 1986, o desafio de instalar a enfermaria de Ortotraumatologia hoje Ortopedia D no momento de transferência das antigas instalações dos Hospitais da Universidade de Coimbra para o edifício principal em Celas, até à sua reforma em 1997, por limite de idade.

Presidiu à Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia entre 1991 e 1992, biénio conturbado, mas também de grandes realizações.

Em 2000 foi agraciado com a Medalha de Ouro pelos Serviços Distintos prestados pela Ordem dos Médicos.

Na SPOT o mandato do Dr. Alarcão e Silva foi marcado pelo “divórcio” entre a SPOT e a SECOT por ocasião do XIX Congresso Luso-Espanhol em Montechoro (1991). Os momentos que se seguiram foram particularmente conturbados, sendo importante a postura cavalheiresca e de grande fleuma do Dr. Alarcão no sentido manter pontes com a SECOT, evitando um corte de relações que teria consequências mais graves. Foi igualmente nesse mandato que foram consolidadas as bases para a criação da EFORT, evoluindo da cooperação do COCOMAC, que culminaram na realização do Iº Congresso da EFORT no ano de 1993 em Paris.

Homem de trato delicado, elevado sentido de humor e grande exigência profissional marcou os muitos profissionais com que trabalhou.

Depois de aposentado e mesmo tendo deixando de fazer clínica, era uma pessoa atualizada conhecedora e atenta do que se passava no Serviço de Ortopedia, na cidade de Coimbra e no País, sempre pronto a aconselhar quem lhe solicitava uma opinião, um parecer, mas sem a tentação de influenciar ou interferir nas decisões que pudessem ser tomadas por aqueles que o procuravam.

A SPOT teve a oportunidade de reconhecer o seu percurso e importância, concedendo-lhe o título de sócio honorário em 2006 e honrando-o no 37º Congresso realizado em Coimbra com a atribuição do seu nome a uma das salas do Congresso.

Ficamos gratos pelo seu exemplo.

Descanse em Paz !

Fernando Fonseca