Professor Doutor Luís Serra (1943-2022)

A Ortopedia Portuguesa e o CHUPorto estão de luto: faleceu o Sr. Professor Doutor Luís Serra.

Luís Manuel Alvim Serraé natural da cidade do Porto e concluiu a Licenciatura em Medicina na Faculdade de Medicina do Porto em 1967.

Frequentou e concluiu o Internato Complementar de Ortopedia no Serviço de Ortopedia do Hospital Geral de Santo António de 1972 a 1976 e integrou o quadro médico efetivo do HGSA, como Assistente do Serviço de Ortopedia, em 1978, tendo sido aprovado no concurso de habilitação ao grau de Chefe de Serviço Hospitalar em 1992.

Dedicou-se com especial interesse à patologia do Pé e Tornozelo sendo, desde longa data, Chefe do Grupo do Pé, do Serviço de Ortopedia do HGSA.

Em 1987 foi co-fundador com a sua Esposa, Endocrinologista, Dra. Beatriz Serra e o Amigo Dr. Mergulhão Mendonça, Cirurgião Vascular, da primeira consulta hospitalar multidisciplinar do País “Consulta do Pé Diabético do HGSA”.

Diretor do Serviço de Ortopedia do HGSA de 2001 a 2004 e do Departamento de Ortofisiatria do CHP de 2003 a 2012.

Obteve o Doutoramento em Ciências Médicas na Faculdade de Medicina do Porto em 1986, ocupando todos os cargos da carreira académica que culminou com a regência da Cadeira de Ortofisiatria em 1992 e Professor Catedrático Convidado do Mestrado Integrado em Medicina ICBAS-UP de 2002 a 2012.

Na Sociedade Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia (SPOT) fez parte dos órgãos sociais durante várias direções e do corpo redatorial da Revista Portuguesa de Ortopedia e Traumatologia (RPOT). Autor da “Crónica da SPOT, 1950-2000” e “Antigos Presidentes da SPOT, 2001-2016”.

Autor de vários livros a artigos publicados, destacando-se “Pé Diabético, Manual para a Prevenção da Catástrofe”, Lidel Ed. Técnicas Lda.

Dotado duma inteligência invulgar e dum conhecimento médico vastíssimo, foi o grande mentor da visão moderna e científica da Ortopedia no final do seculo XX, no HGSA e em Portugal.

Foi também escritor, pintor e escultor com uma obra muito vasta, mas sempre pautada pela discrição.

 Que descanse em Paz!

António Oliveira