4th Lisbon Shoulder Meeting promoveu momentos de discussão e aprendizagem entre especialistas da cirurgia do ombro

4th lisbon

A 4.ª edição do Lisbon Shoulder Meeting, organizada pela Unidade do Ombro e Cotovelo do Hospital CUF Descobertas de Lisboa, decorreu nos dias 1 e 2 de março, em Montes Claros (Monsanto, Lisboa). O evento surgiu com o propósito de criar um espaço de discussão e aprendizagem entre especialistas da cirurgia do ombro, abordando temas atuais e desafiantes da sua especialidade.

Para além de incluir diversos cirurgiões nacionais do ombro, a organização procurou juntar, à partilha de ideias, convidados estrangeiros, que contribuíram para o avanço do conhecimento em diversas áreas. Esta edição do Lisbon Shoulder Meeting teve o patrocínio científico da Sociedade Portuguesa do Ombro e Cotovelo (SPOC), sociedade afiliada da SPOT, da Sociedade Europeia de Cirurgia do Ombro e Cotovelo (SECEC) e da European Shoulder Association (ESA- ESSKA).

No primeiro dia, o evento contou com as sessões “Rotura da Coifa dos Rotadores”, “Implantes bioindutores. Como, quando e porque utilizo”, “Qual é a evidência na literatura para a utilização de implantes bioindutores?”, “A longa porção do bicípite pode ser útil na reparação da coifa dos rotadores? Como e quando?”, “Evidência na literatura para a utilização da longa porção do bicípite na reparação das roturas da coifa dos rotadores”, “Balão sub acromial. Quando uso?” e “Evidência na literatura para a utilização do balão sub acromial”. Decorreu, ainda, a mini-battle “Rotura massiva postero superior”, que promoveu a troca de experiências práticas.

No segundo dia, o evento iniciou-se com a sessão “Artrose gleno umeral numa fase inicial em doente com menos de 60 anos”, seguindo-se das palestras “Como melhorar a rotação interna na PTI?”, “Novas tecnologias na artroplastia: planeamento, PSI, realidade aumentada, realidade virtual e robótica”, “BIO RSA vs Metaglene compensada; evidência recente na literatura”, “Critérios de decisão entre prótese anatómica e prótese invertida em doente com coifa em continuidade”, “Sindrome de Parsonage-Turner”, “Lesões do desfiladeiro torácico – tratamento endoscópico”, “Fraturas do omoplata” e “Estabilização dinâmica anterior. Como faço”. Ainda no dia 2, decorreram as mini-battles “Insuficiência dos rotadores externos na prótese total invertida (PTI); soluções?” e “Procedimentos com bloco ósseo” e os simpósios “BIAL”, “ARTHREX – I” e “ARTHREX – II”. O programa científico foi intercalado com períodos alargados de discussão.

De acordo com António Cartucho, coordenador da iniciativa, um dos temas que se destacou no evento foi o papel atual da inteligência artificial na prática clínica, bem como as perspetivas de desenvolvimento futuro e as suas implicações na cirurgia do ombro. “As expectativas foram superadas com a presença de praticamente todos os convidados e um apoio inexcedível dos parceiros da Indústria dos Dispositivos Médicos e dos Medicamentos. Tratou-se de uma troca desinibida de experiências entre pares que, seguramente, irá influenciar a atividade clínica dos participantes”, partilhou o coordenador.  

A organização mantém o intuito de realizar o Lisbon Shoulder Meeting de dois em dois anos, partilhando que, em breve, darão início à preparação da edição de 2026. Pela primeira vez, a participação no evento não funcionará apenas por convite, planeando-se abrir um número limitado de inscrições para quem tenha o desejo de participar na iniciativa.